quinta-feira, 24 de janeiro de 2008

Felicidade Realista

A princípio, bastaria ter saúde, dinheiro e amor, o que já é um pacotelouvável,
mas nossos desejos são ainda mais complexos.
Não basta que a gente esteja sem febre: queremos, além de saúde, ser
magérrimos, sarados, irresistíveis.
Dinheiro? Não basta termos para pagar o aluguel, a comida e o cinema:
queremos a piscina olímpica e uma temporada num spa cinco estrelas.
E quanto ao amor? Ah, o amor... não basta termos alguém com quem podemos
conversar, dividir uma pizza e fazer sexo de vez em quando. Isso é pensar
pequeno: queremos AMOR, todinho maiúsculo. Queremos estar visceralmente
apaixonados, queremos ser surpreendidos por declarações e presentes
inesperados, queremos jantar à luz de velas de segunda a domingo, queremos
sexo selvagem e diário, queremos ser felizes assim e não de outro jeito.
É o que dá ver tanta televisão.
Simplesmente esquecemos de tentar ser felizes de uma forma mais realista.
Ter um parceiro constante, pode ou não, ser sinônimo de felicidade. Você
pode ser feliz solteiro, feliz com uns romances ocasionais, feliz com um
parceiro, feliz sem nenhum. Não existe amor minúsculo, principalmente
quando se trata de amor-próprio.
Dinheiro é uma benção. Quem tem, precisa aproveitá-lo, gastá-lo,
usufruí-lo. Não perder tempo juntando, juntando, juntando. Apenas o
suficiente para se sentir seguro, mas não aprisionado E se a gente tem
pouco, é com este pouco que vai tentar segurar a onda, buscando coisas que
saiam de graça, como um pouco de humor, um pouco de fé e um pouco de
criatividade.
Ser feliz de uma forma realista é fazer o possível e aceitar o improvável.
Fazer exercícios sem almejar passarelas, trabalhar sem almejar o
estrelato, amar sem almejar o eterno. Olhe para o relógio: hora de acordar.
É importante pensar-se ao extremo, buscar lá dentro o que nos mobiliza,
instiga e conduz mas sem exigir-se desumanamente.
A vida não é um jogo onde só quem testa seus limites é que leva o prêmio.
Não sejamos vítimas ingênuas desta tal competitividade. Se a meta está
alta demais, reduza-a. Se você não está de acordo com as regras, demita-se.
Invente seu próprio jogo. Faça o que for necessário para ser feliz. Mas não
se esqueça que a felicidade é um sentimento simples, você pode encontrá-la
e deixá-la ir embora por não perceber sua simplicidade. Ela transmite paz e
não sentimentos fortes, que nos atormenta e provoca inquietude no nosso
coração. Isso pode ser alegria, paixão, entusiasmo, mas não felicidade.

(Mário Quintana)

6 comentários:

Wal disse...

Oí Bru,
Que lindo texto, hã amanhã vai ficar em casa, curta bastante o feriado,beijos.

Moquinhas disse...

Ai miga depois de ler este texto fiquei sem palavras para te dizer...
Sabes eu acho que a raça humana têm um grande defeito quer sempre mais,é sempre assim se temos uma casa pequena queremos uma maior,e esquecemo-nos que há quem nem casa tenha e durma na rua,essa é a realidade nunca estamos satisfeitos!!
Adorei os teus gráficos fofos miga,já os levei todinhos!!
Beijoquinhas e um bom fim de semana cheio de sol!!

Maria P. disse...

Olá querida amiga, a raça humana no geral é mesmo assim uns eternos insatisfeitos, e alguns nunca conseguem ser verdadeiramente felizes, porque tudo o que alcançam pra eles nunca é suficiente, conheci uma pessoa assim... Há um dito que diz diz qquer coisa como: entristecemo-nos muito pelo pouco que nos falta e alegramo-nos pouco pelo muito que temos. Já tive muito, uma boa casa cheia de coisas boas sem problemas de dinheiro e no entanto era muito infeliz. Hoje tenho mt menos, uma casinha pequena, faço uma ginástica financeira enorme, privo-me de muitas coisas, mas sou muito mais feliz do que antes. Por ser feliz não me vou acomodar apenas ao que tenho, obviamento devemos lutar por uma vida ainda melhor, mas a experiencia que tive ensinou-me a valorizar muito mais o que tenho, e a saber lidar com as privações.
Pronto quase que fiz um post aqui, não digo mais... Bjinho grande e um optimo fim de semana.

*Artes da Sereia* disse...

Adoreiii, gostei muito do texto...
É muito realista, beijinhos e bom fim de semana

Cátia disse...

Obrigada por partilhares o texto Bru... valeu ;)
Muito inspirador para mim nesta fase!

Wal disse...

Oí Bru, claro que pode copiar,beijinhos.